25 anos da BYO e do Youth Brigade

Há quase um ano, mencionei que sairia uma nova coletânea da BYO, comemorativa de 25 anos, e que CH3 tocaria Nils, e que Nils tocaria CH3.

A boa notícia é que a coletânea saiu !

Intitulada Let Them Know: The Story of Youth Brigade and BYO Records, a coletânea saiu em uma edição absolutamente de luxo e que tem que estar na mesa da sala de quem gosta de punk californiano.

É um álbum duplo em LP, mais um CD com as mesmas músicas, mais um DVD documentário, e mais um livro de 100 páginas de história e fotografias.

Out now deluxe edition of BYO Records new compilation, entitled Let Them Know: 2 LPs, 1 CD, 1 DVD and 1 100-page book.

Ainda não encomendei o meu, já gastei muito dinheiro em disco esse mês. Mas você pode encomendar aqui, direto no site da BYO Records.

 

 

Anúncios

Channel Three and Nils

A Better Youth Organization, de dois dos irmãos Stern, merece vários posts à parte. Aqui vou tocar só em um ponto, para introduzir esse assunto maravilhoso de que vou tratar agora.

Em 1982, a BYO Records lançou uma coletânea chamada Someone Got Their Head Kicked In. Eram 18 músicas. Dentre elas, duas do Adolescents, Mass Hysteria do Social Distortion, três do Youth Brigade, duas do Joneses. Uma das minhas bandas preferidas, Agression, também estava lá, com três músicas, junto com Battallion of Saints:

Dois anos depois, a BYO lançou outra coletânea. Something to Believe In vinha com só uma música por banda: Youth Brigade, Kraut, SNFU, Personality Crisis, Unwanted, DOA e 7Seconds são as mais conhecidas:

Em 1992, dez anos após a primeira coletânea, a BYO lançou Someone’s Gonna Get Their Head to Believe In Something. Basicamente, era uma coletânea que envolvia as duas primeiras, além de alguns extras, como Bad Religion, Jr. Gone Wild e Smarties. Royal Crown Revue, que apareceu no disco, era a banda nova do Mark e do Adam Stern, dois dos irmãos, que fazia um som mais rock’n’roll-be-bop-jump’n’jive, que eu torci o nariz. O Shawn – que com o Mark tocava a BYO, e juntos, um pouco antes, virariam o The Brigade, com a saída do Adam para estudar arte – apareceu com a banda That’s It!, mais próxima ao hardcore melódico que começava a fazer sucesso na época:

Bom, mas agora não é a hora de contar a história dos irmãos Stern, ainda na ativa. Voltando ao tema: o Adriano, velho amigo e companheiro na banda Perverts, trouxe o cd do Someone’s Gonna Get Their Head to Believe In Something de Los Angeles, e gravou pra gente.

Baseada em Someone’s, havia, também, na primeira metade dos anos 90, uma fita chamada Skate Rock, que tinha ainda Agent Orange. Essa fita circulou no então restrito grupo de fãs de punk rock em Curitiba. Dudu, Rodrigo, Neves, Gau Gau, Julio, Renato, Piupa, Alceste, Guinalda, vocês devem lembrar, não é possível. Conversei sobre essa fita com o Mike Palm, uma vez, em Florianópolis – outra história que ainda tenho que contar. Não sei quem gravou a fita, mas deve ter sido algum amigo nosso. Nessa fita Skate Rock, ouvi pela primeira vez Channel Three. Nils, só fui ouvir na fita gravada do cd do Adriano. As duas bandas estavam na coletânea da BYO, de 1984.

Channel Three, banda já “velha” na cena, apareceu, na coletânea então nova da BYO, com a música Indian Summer, que depois entraria no disco Last Time I Drank, de 1985. E Nils veio com a música Scratches and Needles. Sou louco pelas duas músicas desde o começo. Saí comprando tudo que eu achava de CH3, e era difícil. Basicamente, não achei nada original, só gravações. Graças ao mesmo Adriano, pude ouvir mil vezes The Skinhead Years, disco que simboliza uma cena sobre a qual ainda quero voltar a falar. Nils, pior ainda: ninguém tinha nada deles. Eu pensava que eles eram californianos, porque achava o som parecido. Quando inventaram a internet, descobri que Nils era de Montreal, Canada. Pensando bem, eles lembram bandas canadenses, como Teenage Head, de Hamilton, Ontario. Muitos anos depois, achei dois discos deles, no Soulseek. Quem quiser, eu gravo. Está em m4A e não sei como passar pra mp3, mas aceito dicas.

A novidade é que, 30 anos depois da primeira coletânea, os irmãos Stern resolveram chamar aquele povo pra lançar outro disco. O bizarro da história: CH3 vai tocar Scratches and Needles, e Nils vai tocar Indian Summer. E o mais bizarro: as duas músicas são praticamente iguais !

A versão do CH3 você pode ver no youtube, clicando aqui. Uma versão absurdamente boa, simplesmente espetacular. Feita por quem sabe, CH3, quem é foda é foda. A do Nils, acho que vamos ter que esperar o disco.

Essa história você vê com mais detalhes no blog do CH3, clicando aqui.