Generation For Peace !

Dica importante do Dudu:

Generation Fucking Principle é uma nova banda californiana formada por velhos fodões da cena. GFP mostra suas raízes já na logo, com letras clássicas da costa oeste:

A banda é formada por Greg Hetson (Circle Jerks, Bad Religion), Amery “AWOL” Smith (Suicidal Tendencies, Uncle Sam, AgainST), Crazy Tom (Dead Fucking Last) e o skateboarder Z-Boy Tony Alva.

Tem algum material na página deles no facebook, umas músicas no reverbnation e acho que é só, por enquanto. Mas temos ficar de olho.

CJ Ramone lança disco gravado em Orange County com Steve Soto, Billy Zoom, Jonny 2Bags, Jose Mendeles e Jay Bentley

CJ Ramone lançou o disco Reconquista.

Saiu no final de junho, pela internet. Não saiu em CD ou em LP, ao menos não ainda. São doze músicas excelentes, realmente ótimas. Um disco colossal do início ao fim. Eu que sou fã do CJ não esperava tanto.

O disco foi gravado em Orange County, CA, no estúdio de Jim Monroe. Basicamente, começou com Steve Soto e o baterista Jose Mendeles, que toca no Breeders, mas já foi colega do Steve Soto no 22 Jacks, banda que inclusive acompanhou shows do Joey Ramone. No estúdio apareceram também o Billy Zoom (X), o Jay Bentley (Bad Religion) e o Jonny 2Bags (Social Distortion).

Gravado em três semanas, em maio, e já lançado logo em seguida, Reconquista é um disco fabuloso. CJ descreveu o disco como um encontro entre Rocket to Russia e End of the Century. A primeira música já fala em San Francisco no primeiro verso. Now I Know… tem as mesmas notas de Life’s A Gas e de When the Angels Sing, e de uma música do Perverts. O cover da música do Lou Reed ficou melhor que o original, assim como o Ramones fazia normalmente.

Não vejo a hora de sair em CD e LP para ter um e manusear.

CD do OFF! saindo

Um dos aspectos mais fascinantes do punk californiano são os inter-relacionamentos entre as bandas. Aqui no California Sons, já falamos, por exemplo, do Dez Cadena, que tocou no Black Flag e no Redd Kross. Mas essas duas bandas têm muito mais em comum.

Redd Kross foi fundado pelos irmãos Steven e Jeff McDonald, Ron Rayes e Greg Hetson. O Ron Rayes depois cantou no Black Flag, e Greg Hetson faz parte do Circle Jerks e do Bad Religion, e já teve o projeto Punk Rock Karaoke, com o Steve Soto (Adolescents, Agent Orange, Legal Weapon, Joyride, 22 Jacks etc.) e o Eric Melvin (NOFX).

O primeiro disco do Redd Kross – na época Red Cross –, Born Innocent, foi lançado em 1981. O nome da banda, inspirado na cena da masturbação do filme O Exorcista, mudou por problemas com a Cruz Vermelha.

O baixista Steven McDonald juntou-se ao mítico Keith Morris (Black Flag, Circle Jerks), a Dimitri Coats (Burning Brides) e a Mario Rubalcaba (Rocket From The Crypt, Hot Snakes, Earthless) para formar o OFF!

Diz a lenda que Coats estava trabalhando na produção do novo disco do Circle Jerks, sobre o qual Keith Morris falou à imprensa brasileira, quando estiveram aqui para show em São Paulo, em março de 2009. Confira a abertura do show aqui. Alguma coisa nesse disco deu errado, e acabou nunca saindo. Mas a convivência dos dois gerou excelentes músicas, e a banda OFF!

Até agora, OFF! lançou quatro EPs. O som é muito parecido com o Black Flag da época do Keith Morris. Lembra muito o Nervous Breakdown, primeiro EP da banda. Os vocais gritados do Keith Morris continuam passando aquela atmosfera de desespero e agonia que o fizeram famoso. Um dos caras mais cool do pedaço. Uma guitarra só, quando tem solo não tem base, quando tem base não tem solo. As músicas mais longas têm um minuto e meio, e muitas não chegam a um minuto.

Está para sair um cd com todos os EPs, chamado The First Four EPs. O lançamento está previsto para 15 de fevereiro, daqui a dez dias. Os EPs também foram vendidos em uma caixa com os quatro disquinhos de vinil em 7”. Quem assina a arte gráfica é o Raymond Pettibon. Esse cara, irmão do Greg Ginn, é famoso pela arte do Black Flag, tanto nos discos, quanto nos flyers de shows.

Esses EPs estão entre os melhores lançamentos do punk californiano em 2010. O som é bem isso: punk. E pronto.